O Reiki nos Hospitais um aliado na promoção da saúde

A prática de reiki já conquistou hospitais por todo o mundo. Em Portugal já podemos encontrar o Reiki no Hospital São João do porto, no Hospital do Fundão e no Centro Hospitalar Barreiro Montijo (Serviço de Obstetrícia).

 

Reiki significa Rei = universal + Ki = energia, ou seja, energia universal, uma energia que está em todo o lado.

Segundo João Magalhães, presidente da Associação Portuguesa de Reiki e autor de O Grande Livro do Reiki (2016), “O Reiki é simples. (…) É uma energia universal, que está em todo o lado com uma frequência abrangente, curadora e vital (…) com o propósito de bem-estar, cura e vitalidade. (…). O Reiki “trata o homem como um todo, auxilia o processo de auto cura do próprio corpo, relaxa os músculos, alivia pequenas dores, auxilia no relaxamento mental e proporciona um bem-estar prolongado“.” (Magalhães, 2016)

 

 Atribui-se a descoberta do Reiki, ao Mestre japonês Mikao Usui, quando este se encontraria num retiro no Monte Kurama, no ano de 1922.  Desde então, tem sido a associação Usui Reiki Ryoho Gakkai e os seus discípulos a partilhar os ensinamentos.

O mestre Mikao Usui identificava o Reiki como um método de cura natural através da imposição de mãos e passagem de energia, uma energia que pode harmonizar e auxiliar no processo de cura. Para além da energia, fundamenta-se em cinco princípios, como filosofia de vida:

Só por hoje,

  1. Sou calmo;
  2. Confio;
  3. Sou grato;
  4. Trabalho honestamente;
  5. Sou bondoso.

 

Podemos por vezes não saber explicar o que é o Reiki, mas sabemos o que não é Reiki, e não é: religião, espiritismo, bruxaria, seita, dogma.

 

 

Segundo João Magalhães, também ele Mestre de Reiki: 

“O Reiki deve ser entendido como uma filosofia de vida, uma prática de desenvolvimento pessoal e uma terapia complementar e integrativa. Como tal, um praticante nunca deve deixar de tomar medicação [se previamente prescrita pelo seu médico] ou aconselhá-lo [deixar a medicação] a outra pessoa. Somente profissionais de saúde capacitados é que têm o saber para tal. Assim como nunca deve ser indicada qualquer promessa de cura. Esta ocorre por tantos fatores que muitos são absolutamente desconhecidos por nós. (…) O Reiki pode fazer parte de um processo de cura, mas não cura sozinho. (…) O Reiki é uma prática que nos convida à felicidade, por nos ajudar a elevar a consciência, a transformar os nossos padrões de comportamento e a criar harmonia em todos os nossos corpos. A nossa base é a energia e o saber holístico. Se estamos bem connosco e com os outros, então estamos em paz, em harmonia e essa é a verdadeira “cura”. (Magalhães, 2016).

 

O Reiki pode ser um processo auto tratamento, ou pode ser direcionado a outras pessoas, sendo, necessária formação de nível 2 ou nível 3.  

O ensino de Reiki pode depender do Sistema e do Mestre, sendo que a distribuição de ensino mais comum, para o Reiki Tradicional, é a divisão da aprendizagem em quatro níveis:

 

Nível 1 (Shoden) – o despertar, que trabalha ao nível físico;

Nível 2 (Okuden) – a transformação, que trabalha ao nível emocional e mental;

Nível 3 (Shinpiden) – a realização, nível de Mestre;

Nível 3B (Gokukaiden) –  mestrado, nível de Professor.

Também existe o ensino de Reiki Essencial que só tem três divisões da aprendizagem.

 

De acordo com os escritos do Mestre Usui, “a missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a de nós mesmos“.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

psicologia psicologia infantil psicologia adulto life coaching business coaching nutrição
%d bloggers like this: