Perturbações Alimentares

“Verão, verão. Hora de sentar e relaxar.” Para alguns este pensamento deve ser feliz, mas para as pessoas com perturbações alimentares, pode ser um sofrimento e podem entrar numa luta para manter os seus planos de recuperação.

O que são perturbações alimentares? São condições psicológicas com sintomas emocionais e físicos. Os distúrbios incluem a anorexia nervosa (fome voluntária), bulimia nervosa (compulsão alimentar seguida de purgação), compulsão alimentar (compulsão alimentar sem purgação) e perturbações alimentares não especificados.

As perturbações alimentares não escolhem sexo nem idade, qualquer um, incluindo homens jovens e adultos mais velhos, pode desenvolver um distúrbio alimentar em qualquer idade. Dentre vários danos as perturbações alimentares ganham vida própria, de modo que comer ou não comer, se torna o foco da existência quotidiana.

São diversos os factores, desde da pressão social, história familiar e dinâmicas, são alguns dos factores associados as perturbações alimentares. As preocupações com a imagem corporal e os traços da personalidade mediados culturalmente, como o perfeccionismo e a obsessão, também desempenham um papel importante nas perturbações alimentares, que são frequentemente acompanhadas por depressão e / ou ansiedade.

O tratamento nunca é simples para estas condições. Frequentemente criam múltiplos problemas médicos e podem até ser gravemente letais, exigindo hospitalização e alimentação forçada. Pode ser necessária uma equipa multidisciplinar de profissionais de saúde, incluindo um psicoterapeuta, um médico e um nutricionista especializado para promover uma recuperação completa em alguém com uma perturbação alimentar.

As perturbações alimentares destroem as famílias e afectam todos os aspectos da vida dos sofredores: as faculdades cognitivas sofrem devido a deficits nutricionais, o humor é instável ou severamente deprimido e os relacionamentos são prejudicados até ao ponto de ruptura.

Os sinais físicos e emocionais diferem de pessoa e situação. Mas com o tempo, a obsessão por alimentos, restrições e rotinas forçará o corpo a um estado de desequilíbrio e desnutrição. Pode começar a sentir-se fatigado ou mais fraco que o normal. Sentir-se cansado com mais frequência, sentir frio e levar mais tempo para se recuperar de doenças e vírus comuns.

Sem o devido cuidado, as perturbações alimentares pode causar consequências traumáticas na saúde mental e física, bem como controlar a felicidade da vida pessoal, profissional e social. Acha que pode ter dúvidas sobre um distúrbio alimentar, procure ajuda de um profissional de confiança, de forma apoiá-lo a iniciar a jornada para transformar a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

psicologia psicologia infantil psicologia adulto life coaching business coaching nutrição
%d bloggers like this: