Os perigos do perfeccionismo nas crianças e adolescentes

No mundo agitado de hoje, as crianças e os adolescentes estão cronicamente fazendo um jogo de cintura com as demandas académicas, amizades, redes sociais, família e actividades extra-curriculares. A expectativa e a necessidade em se destacar nos múltiplos domínios podem ser extremamente exigente para as crianças e os adolescentes, levando-os à exaustão, burnout, à depressão ou à ansiedade.

Para algumas crianças e adolescentes, essas lutas podem ser ainda maiores quando o desejo de perfeccionismo se manifesta. O perfeccionismo é difundido nas nossas vidas e nos nossos filhos, tanto que a exigente perfeição de nós mesmos parece ironicamente não funcional. O perfeccionismo tende aumentaram ao longo do tempo, as gerações mais jovens experimentam expectativas mais altas de outras e estabelecem expectativas mais altas de si mesmas do que as gerações anteriores. 

Esperar a excelência de nós mesmos é uma preocupação? 

É necessário entender a diferença entre perfeccionismo saudável e o não saudável. Certamente, estabelecer altas expectativas de nós mesmos, lutar pela realização e nutrir a autodisciplina são características que são adaptativas e úteis. É claro, queremos que nós mesmos e os nossos filhos sejam motivados para alcançar e ter sucesso. Mas um foco na realização pode tornar-se problemático quando se transforma em perfeccionismo doentio, que envolve um medo inabalável de falhas e erros, padrões irrealisticamente elevados e sentir que o nosso desempenho está entrelaçado com o nosso valor. 

O perfeccionismo não é auto-aperfeiçoamento. O perfeccionismo é tentar ganhar aprovação. A maioria dos perfeccionistas cresceu sendo elogiada por conquistas e desempenho (notas, boas maneiras, regras, pessoas agradáveis, aparência, etc). Em algum lugar ao longo do caminho, eles adoptaram esse sistema de crenças perigoso e debilitante: “Eu sou o que realizo e quão bem eu o realizo. Executar a perfeição.”

O perfeccionismo está associado a várias preocupações com a saúde mental, incluindo a ansiedade, a depressão, a autoflagelação, a perturbação obsessivo-compulsivo e as perturbações alimentares, bem como a angústia geral. O perfeccionismo também afecta a nossa saúde física e está associado à fadiga, à insónia e às dores de cabeça crónicas.  

É essencial que os pais, os professores estejam atentos às crianças e adolescentes com a vulnerabilidade do perfeccionismo.

Como adultos, devemos tentar demonstrar às nossas crianças e adolescentes como alcançar e ter sucesso de maneira equilibrada e saudável. Ao contrário dos perfeccionistas, aqueles com uma mentalidade em crescimento, estão focados em dominar estratégias e técnicas desafiadoras, embora não possam evitar os erros e as falhas, eles os vêem como oportunidades úteis, necessárias e importantes para o crescimento. 

Numa palavra, as crianças e adultos com uma mentalidade em crescimento são resilientes. 

Incentive o seu filho a pensar sobre os erros e fracassos, e que tome uma visão positiva como é importante falhar para melhorar e fazer progressos e não sermos perfeitos. 

Seja um exemplo para os seus filhos e fale dos seus erros, dos seus desafios e como foi importante aprender com as falhas e tentar novamente, e nunca desistir.  

Progresso, dedicação, dê o seu melhor mas não queira a perfeição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Coaching Infantil tempo com os filhos psicologia infantil criança perfeita perfeccionismo nas crianças
%d bloggers like this: