Mindfulness no dia-a-dia

Fica irritado com todas aquelas pequenas coisas que tem que fazer todos os dias? Como se levantar, vestir, escovar os dentes?

Eu por vezes fico. Quanto mais os meus dias são preenchidos, quanto mais cedo eu tenho de me levantar, menos eu penso neles, mas a maioria dos dias dá-me tempo de sobra para me irritar por ter “muito” que fazer antes de ir para a cama. Eu conheço pessoas que nunca pensam nessas coisas, elas simplesmente as fazem. Como limpar a mesa depois do jantar ou limpar o chão. Eu admiro quem simplesmente faz e não pensa. Se é mais parecido comigo, dá-se conta que pelo menos uma dúzia de vezes por semana pensa “por que eu tenho que fazer isso?” Ou “eu realmente tenho que fazer isso?”. Claro, isso não ajuda. Isso só faz perder mais tempo com todas essas pequenas necessidades.

Então, o que podemos fazer sobre isso?

Poderíamos impedir de pensar excessivamente, e levantar e simplesmente fazê-lo. Levantar-se imediatamente à noite para ir á casa de banho, em vez de tentar ficar na cama e acordar várias vezes. Sim, poderíamos pensar noutra coisa enquanto escovamos os dentes, é claro, caso contrário, apenas pensamos em outras coisas esperançosamente mais significativas, mas ainda não escovamos os dentes. Suprimir os pensamentos não funciona tão bem assim. Mas, para ser sincera, eu tentei isso e realmente não ajuda muito. 

Vamos fazer algo útil!

O que estou sugerir é transformar todas essas pequenas tarefas diárias em algo realmente útil. Além do resultado imediato, não por não pensar sobre elas ou usar esses momentos para ser produtivo noutras área, como quando está mentalmente escrevendo um e-mail enquanto esta no chuveiro. O que estou a propor é, na verdade, fazer exactamente o oposto. Diminuir a velocidade e prestar mais atenção a essas pequenas tarefas automatizadas e transformá-las num exercício de atenção plena.

Mindfulness, novamente?

Sim. Vamos supor que já ouviu falar sobre o mindfulness e sabe que de alguma forma envolve fazer coisas, bem, conscientemente. Mindfulness é um conceito trazido para o mundo ocidental por Jon Kabat-Zinn, criador do programa Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR). Os elementos-chave da atenção plena são prestar atenção ao momento presente, de propósito e sem julgamento. Não se trata de mudar o momento presente, não é sobre não pensar em nada e esvaziar a sua mente. É simplesmente observar o que está acontecer e o que a sua mente está a fazer. Sem julgar a si mesmo ou à sua mente por qualquer coisa que esteja a fazer. Se já tentou, sabe que isso não é tão fácil quanto parece. A nossa mente está activa o tempo todo. E adora julgar. Nós e todos ao nosso redor. O que é bom, isto é (pelo menos parcialmente) para o que precisamos. Mas a nossa mente também tende a apegar-se especialmente ao negativo e menos ao positivo. Acabamos pensando e repensando sobre as coisas que deram errado ou as que temos que fazer de novo e de novo.

Mindfulness

Poderia (e provavelmente deveria) começar a praticar a meditação da atenção plena todos os dias. O que estou sugerir é que pode transformar as pequenas coisas da sua vida diária, especialmente aquelas que o incomodam (ou que provocam qualquer outra emoção ou pensamentos repetitivos) num exercício de atenção plena. Tudo o que precisa de fazer é estar presente e não julgar. Parece simples. Não é. Mas, felizmente, há muitas tarefas diárias repetitivas que podemos praticar.

Concentre-se nos seus sentidos

É assim que funciona: escolha uma tarefa e faça. Por exemplo, está a escovar os dentes, não faça mais nada enquanto escova os dentes. Pode começar por concentrando-se nas sensações. Que cheiro e sabor tem a sua pasta de dentes? Em algum momento, percebe que a sua mente se afastou, que estava a pensar noutra coisa. Sempre que isso acontece, sempre que perceber, deixe de lado esse pensamento e volte para a simples tarefa de escovar os dentes. 

Se nunca tentou qualquer meditação ou exercício de atenção plena, provavelmente ficará surpreso com a frequência com que sua mente se desvia, com o quanto dispensamos energia a pensar. Não se preocupe, isso acontece com todos. De fato, como eu disse antes, é para isso que a nossa mente é feita. 

O objectivo não é não pensar. O objectivo é não apegar-se muito aos seus pensamentos, ser menos crítico e realmente estar presente no exacto momento. Então, ao invés de tentar não pensar, o que deve tentar (e vai melhorar nisso, quanto mais se pratica), é deixar esses pensamentos irem embora, sem julgá-los, assim que os notar. E depois volte para a tarefa em mãos.

Pratique, quanto mais pratica maiores os benefícios.

Fica irritado com todas aquelas pequenas coisas que tem que fazer todos os dias? Como se levantar, vestir, escovar os dentes? Eu por vezes fico. Quanto mais os meus dias são preenchidos, quanto mais cedo eu tenho de me levantar, menos eu penso neles, mas a maioria dos dias dá-me tempo de sobra para me irritar por ter “muito” que fazer antes de ir para a cama. Eu conheço pessoas que nunca pensam nessas coisas, elas simplesmente as fazem. Como limpar a mesa depois do jantar ou limpar o chão. Eu admiro quem simplesmente faz e não pensa. Se é mais parecido comigo, dá-se conta que pelo menos uma dúzia de vezes por semana pensa “por que eu tenho que fazer isso?” Ou “eu realmente tenho que fazer isso?”. Claro, isso não ajuda. Isso só faz perder mais tempo com todas essas pequenas necessidades.

Então, o que podemos fazer sobre isso?

Poderíamos impedir de pensar excessivamente, e levantar e simplesmente fazê-lo. Levantar-se imediatamente à noite para ir á casa de banho, em vez de tentar ficar na cama e acordar várias vezes. Sim, poderíamos pensar noutra coisa enquanto escovamos os dentes, é claro, caso contrário, apenas pensamos em outras coisas esperançosamente mais significativas, mas ainda não escovamos os dentes. Suprimir os pensamentos não funciona tão bem assim. Mas, para ser sincera, eu tentei isso e realmente não ajuda muito. 

Vamos fazer algo útil!

O que estou sugerir é transformar todas essas pequenas tarefas diárias em algo realmente útil. Além do resultado imediato, não por não pensar sobre elas ou usar esses momentos para ser produtivo noutras área, como quando está mentalmente escrevendo um e-mail enquanto esta no chuveiro. O que estou a propor é, na verdade, fazer exactamente o oposto. Diminuir a velocidade e prestar mais atenção a essas pequenas tarefas automatizadas e transformá-las num exercício de atenção plena.

Mindfulness, novamente?

Sim. Vamos supor que já ouviu falar sobre o mindfulness e sabe que de alguma forma envolve fazer coisas, bem, conscientemente. Mindfulness é um conceito trazido para o mundo ocidental por Jon Kabat-Zinn, criador do programa Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR). Os elementos-chave da atenção plena são prestar atenção ao momento presente, de propósito e sem julgamento. Não se trata de mudar o momento presente, não é sobre não pensar em nada e esvaziar a sua mente. É simplesmente observar o que está acontecer e o que a sua mente está a fazer. Sem julgar a si mesmo ou à sua mente por qualquer coisa que esteja a fazer. Se já tentou, sabe que isso não é tão fácil quanto parece. A nossa mente está activa o tempo todo. E adora julgar. Nós e todos ao nosso redor. O que é bom, isto é (pelo menos parcialmente) para o que precisamos. Mas a nossa mente também tende a apegar-se especialmente ao negativo e menos ao positivo. Acabamos pensando e repensando sobre as coisas que deram errado ou as que temos que fazer de novo e de novo.

Mindfulness

Poderia (e provavelmente deveria) começar a praticar a meditação da atenção plena todos os dias. O que estou sugerir é que pode transformar as pequenas coisas da sua vida diária, especialmente aquelas que o incomodam (ou que provocam qualquer outra emoção ou pensamentos repetitivos) num exercício de atenção plena. Tudo o que precisa de fazer é estar presente e não julgar. Parece simples. Não é. Mas, felizmente, há muitas tarefas diárias repetitivas que podemos praticar.

Concentre-se nos seus sentidos

É assim que funciona: escolha uma tarefa e faça. Por exemplo, está a escovar os dentes, não faça mais nada enquanto escova os dentes. Pode começar por concentrando-se nas sensações. Que cheiro e sabor tem a sua pasta de dentes? Em algum momento, percebe que a sua mente se afastou, que estava a pensar noutra coisa. Sempre que isso acontece, sempre que perceber, deixe de lado esse pensamento e volte para a simples tarefa de escovar os dentes. 

Se nunca tentou qualquer meditação ou exercício de atenção plena, provavelmente ficará surpreso com a frequência com que sua mente se desvia, com o quanto dispensamos energia a pensar. Não se preocupe, isso acontece com todos. De fato, como eu disse antes, é para isso que a nossa mente é feita. 

O objectivo não é não pensar. O objectivo é não apegar-se muito aos seus pensamentos, ser menos crítico e realmente estar presente no exacto momento. Então, ao invés de tentar não pensar, o que deve tentar (e vai melhorar nisso, quanto mais se pratica), é deixar esses pensamentos irem embora, sem julgá-los, assim que os notar. E depois volte para a tarefa em mãos.

Pratique, quanto mais pratica maiores os benefícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

psicologia psicologia infantil psicologia adulto life coaching business coaching nutrição
%d bloggers like this: